sábado, 31 de janeiro de 2009

Perfume de Orquídea


Foram-se flores,

Cartas, bilhetes...

Foram-se amores.


Beijei todo o corpo,

beijei... e beijei.

Alma na alma,

uma só energia transpirando poesia.


Do hálito cheio de pétalas,

o meu grito de desmaio.

... Encontrei a dor do prazer...

E um pouco de perfume das orquídeas.


Eveltana.

4 comentários:

Anônimo disse...

Bela como a autora!!

Icaro Rabelo disse...

Eu não costumo ler poesias, nem mentir em meu jugamento delas. Ela está simples, porém, encantadoara. Acho que entendi errado, mas, dentro do meu entendimento, o uso da rosas não pode ser nada mais que uma mulher ;D Então, sei la, gostei dessa coisa feminina. Você é feminina e se beija nesse poema ;D achei muito lindo. A dor do prazer é está bem explicada ;D todos nos amamos ;D enfim ...
adorei.

Anônimo disse...

oi evel, adorei o poema, magnífico!

bjos linda

Lisieux disse...

muita sensibilidade...muita poesia...adorei !!!!